curiosidades 

 
início

quais as diferenças entre cães e gatos?

     Cachorros e gatos são animais de estimação muito comuns, mas as pessoas ainda têm dificuldade de entender que são espécies diferentes, e que cada uma delas tem o seu próprio perfil de comportamento. Achar que um gato deva se portar como um cachorro, é pedir demais para um felino, que é um animal de temperamento muito mais independente.

     As diferenças começam aí: enquanto a maioria dos cães é bastante submissa ao dono, os gatos, apesar de reconhecerem seus "senhores", agem de maneira própria, não respondendo de forma tão imediata como os cachorros. Independência é uma palavra que define muito bem o gato: ele atende ao dono se estiver com vontade. Já o cão está sempre pronto a acompanhar a família.

     O cachorro sente muito a solidão; o felino, não. A pessoa pode trabalhar o dia todo, viajar no fim de semana, e o gato não sente tanto, já o cão é muito mais dependente, necessitando de companhia. Geralmente as pessoas que gostam mais de bichanos são as que querem um animal mais independente, que não seja tão grudado como o cachorro.

     Uma outra diferença entre o "amigdepatas" de cada espécie são os períodos do dia em que estão em plena atividade. Os cães dormem à noite, mas os gatos fazem isso de dia. Os hábitos do gato são muito mais noturnos, assim como fazem os outros felinos na natureza. À noite é o momento de caçar. O gato doméstico não tem essa necessidade, mas a maioria deles fica mais ativo nos períodos noturnos.
 

 
Voltar  
   

 
 

     Os gatos, desde filhotes, procuram locais para fazer suas necessidades onde possam enterrá-las depois. Assim, basta deixar uma caixa de areia para gatos à disposição do bichano que ele saberá reconhecer seu sanitário. Já os cães são bem mais "despudorados" e jamais se envergonham de seus dejetos, a menos que sejam repreendidos. Se não forem ensinados, qualquer lugar está bom para eles. Em ambas as espécies, os machos costumam marcar território com a urina. Os cães até podem ser treinados para urinar num determinado local. Já os gatos, dificilmente será possível convencê-los a não demarcar seu espaço, daí a necessidade da castração dos machos. A urina dos felinos tem um odor extremamente forte e persistente, podendo ser detectada à distância, ao contrário do cão.

     O gato é um animal que explora os ambientes tridimensionalmente, diferente do cão. Ele sempre vai subir na pia, na geladeira, no microondas, e é importante que ele tenha esse acesso. Não adianta ter um gato e querer limitá-lo ao chão, como se fosse um cachorro.

     No caso das fêmeas, também existem diferenças importantes. Ambas só acasalam durante os cios, mas esse período é distinto nas duas espécies. Cadelas têm cios a cada seis meses, eles têm duração de 21 dias e há sangramento nas primeiras duas semana. As gatas apresentam cios em intervalos e com duração muito variáveis e nunca ocorre sangramento. As cadelas são extremamente discretas durante o cio, se comparadas as gatas. Estas ultimas são difíceis de se manter se não forem castradas, em razão do barulho que fazem durante a época de acasalamento. Elas miam alto para atrair parceiros. Saiba mais sobre  o acasalamento deles clicando aqui.

 


     Você já deve ter ouvido a expressão "banho de gato", associada a um banho "mais ou menos" tomado. Os gatos são extremamente limpos e diariamente higienizam seus pelos através da lambedura, utilizando sua língua áspera. Com isso, removem a pelagem velha e eventuais parasitas. Conseguem se manter limpos por muito mais tempo e sem odores. Já os cães... parecem sentir um imenso prazer em se sujar e alguns adoram se esfregar em lixo, animais mortos e coisas sujas... Experimente dar banho em um cão e solta-lo no jardim. Ele irá esfregar-se na terra imediatamente. A razão dessa preferência dos cães por odores repugnantes a nós humanos é que os lobos, espécie da qual os cachorros descendem, procuravam disfarçar seu cheiro natural, esfregando-se em carniça de outros animais. Isso facilitava na hora de caçar, pois a presa não conseguia farejá-los. A herança genética continuou nos cães e muitos ainda fazem isso, para desgosto dos donos, que os preferiam cheirando à lavanda... Cachorros não gostam, mas toleram o banho. Gatos abominam a água!

 


     No quesito alimentação, os felinos são exigentes e não comem qualquer coisa. Sua dieta deve ter altos níveis de proteína, daí a ração de gatos ser bem mais palatável que a dos cachorros. Estes, por sua vez, adotariam a mesma dieta de seus donos, se lhes fosse permitido. Algo nada recomendável. Para um cachorro, todos os alimentos são ótimos, por isso, é muito mais comum um cão sofrer uma intoxicação alimentar do que um gato. Os felinos cheiram o alimento e o analisam, depois o ingerem mastigando os pedaços. Os cães são afoitos e na primeira cheirada já abocanham a comida e não mastigam, engolem em pedaços grandes. Os cães comem exageradamente, enquanto os gatos, apenas o suficiente.

     A linguagem corporal deles também são diferentes, como por exemplo, a cauda. Os cães balançam a cauda para demonstrar alegria, felicidade e agrado, já os felinos é o contrário, quando balançam a cauda é risco iminente de ataque, é um sinal de desaprovação, de desagrado. Tantos cães e gatos deitam de barriga para cima, é um sinal de submissão, ou seja, que não tem a intenção de atacar. Embora cada espécie vêem esta submissão com significados diferentes, no cão ele esta demonstrando que você é o líder, que você é quem manda no sentido de obediência; já no gato, significa que ele está submisso não por obediência mas sim por afeição.

 

     Cães e gatos podem ser adestrados, mas de formas diferentes. O gato, diferente do cão, não pode ser pego e levado pra um lugar onde haja um treinador. Enquanto ele não estiver adaptado ao ambiente, não vai prestar atenção nas pessoas. O cão aceita, além de petiscos, carinhos e brinquedos como recompensas já o gato não. Somente o petisco é aceito, neste caso, como o gato demora mais para comer, não permite tantas repetições de exercícios de treinamentos quanto com cachorros. O gato não consegue ser educado com reforços negativos. Com cachorros, há reforços como colocar um enforcador e apertar o traseiro pra ele sentar. Se isso for feito com o gato, ele vai passar a não gostar da pessoa que o treina. Por outro lado, por meio do reforço positivo, o gato vai se aproximando, se tornando cada vez mais sociável. O cachorro ainda tolera a agressão porque depende muito do ser humano e é capaz de, mesmo assim, continuar amando o dono. O gato, não.

 

     Embora existam tantas diferenças entre essas espécies, ambas são ótimas como animais de estimação. É preciso apenas compreender e respeitar o comportamento de cada uma delas, para que a convivência com o homem seja tranquila e sem frustrações.

     Portanto independente da espécie que você tenha é muito importante saber sobre o comportamento de cada uma, não exigindo ou cobrando do seu "
amigdepatas" atitudes que não convêm a ele. Mais informações sobre gatos e cachorros clique no respectivo nome.