curiosidades 

 
início gravidez psicológica

     Cadelas e gatas podem acreditar estarem grávidas, produzirem leite, assim como, fazerem ninhos, adotarem chinelos e brinquedos como seus filhotes e ficarem agressivas com outros animais e pessoas que cheguem perto de suas "crias".

     Este transtorno comportamental chamamos de gravidez psicológica. Acontece porque elas produzem um hormônio chamado progesterona, que mantêm a gestação. Na queda deste (quando as fêmeas entram no trabalho de parto) outro hormônio é ativado, a prolactina, responsável pela produção de leite e comportamento materno. A prolactina age no tecido mamário ativando a produção de leite. A progesterona é produzida pelos ovários por aproximadamente 2~3 meses (durante o cio e 2 meses após o mesmo), independente da fêmea ficar grávida.

     É muito mais comum as cadelas desenvolverem gravidez psicológica do que as gatas, numa relação de 80% para 10%, isto ocorre devido ao fato das cadelas terem ovulação espontânea, ou seja, independente de cruzar ou não. Já as gatas somente vão ovular após estímulo ocorrido durante a cópula. Nestas, ocorre a pseudo-prenhez (gravidez psicológica), geralmente quando copulam com gatos inférteis ou quando estimuladas com ato sexual simulado (utilizando cotonete - técnica para interromper o cio). Outro motivo pelo qual acontece mais frequentemente em cadelas, é porque estas são descendentes dos lobos, vivendo em matilha, onde somente as líderes cruzavam para desenvolverem filhotes mais fortes e em número controlado. As outras fêmeas da matilha desenvolviam a pseudociese (gravidez psicológica) para produzirem leite e o comportamento materno alimentando e cuidando dos filhotes das líderes enquanto estas caçavam.

 
Voltar  
   
   

     A gravidez psicológica se desenvolve frequentemente em fêmeas não castradas, que nunca cruzaram ou que estão muito tempo sem criar, mas pode acontecer também no primeiro cio. Ocorre também em fêmeas que foram castradas em seguida após o cio (dentro de 60 dias após o mesmo), pois com a retirada dos ovários (responsáveis pela produção de progesterona), há a interrupção da progesterona e a liberação da prolactina, ocasionando este comportamento. 

    Os sinais mais comuns são, perda de apetite, agressividade, ato de cavar, fazer ninho (com pedaços de panos e papeis), adotar objetos (chinelos, bolinhas, brinquedos, etc), produção de leite (mamas inchadas e com leite), auto-sucção (fêmea mama nela mesmo - imagens ao lado), aumento abdominal, além disto, a fêmea pode ficar choramingando, carente, etc.

     Este comportamento é auto-limitante, durando aproximadamente 3 semanas. Com a medicação (recomendada pelo veterinário) este período é reduzido para 1 semana.

 
   
   

     O aumento das mamas é normal durantes a gravidez psicológica e o leite produzido acaba sendo reabsorvido pelo corpo da fêmea. Mas às vezes pode ocorrer a mastite – inflamação nas glândulas mamárias, surgindo carocinhos, e ate endurecendo totalmente a teta (chamado corriqueiramente de leite empedrado), dores e avermelhamento da pele. Neste caso não deixe de consultar seu médico-veterinário de confiança.

     A produção de leite pode aumentar ou durar mais tempo se as mamas forem estimuladas. É melhor, portanto, evitar manuseá-las. E se a fêmea praticar auto-sucção das mamas, pode ser recomendado impedi-la com um colar elisabetano (posto em volta do pescoço tornando impossível o contato da boca com o próprio corpo).

     Com a inflamação frequente das mamas pode ocasionar o câncer de mama.

     Para prevenir a gravidez psicológica é recomendado a castração. Preste atenção no seu "amigdepatas", qualquer alteração no comportamento normal dele procure orientação veterinária.