curiosidades 

 
início troca de dente, eles também ficam "banguela"

     Assim como nós, os animais também ficam banguela, pois trocam os dentes.

     Eles nascem sem dentes, um pouco antes de um mês de vida, aparecem os seus dentinhos de leite, que serão trocados pelos permanentes por volta do quarto ao sexto mês, os 26 dentes de leite são substituídos por 30 dentes ligeiramente maiores, que deverão ficar na boca por toda a vida. Na figura abaixo demonstramos um cachorro de 4 meses com os primeiros dentes permanentes (incisivos) e os demais dentes de leite - notem a diferença visível quanto ao tamanho, quando comparado o dente permanente incisivo com o dente de leite incisivo (logo ao lado).

 
Voltar  
 

     Os dentes ao serem substituídos muitas vezes nem são vistos pelos proprietários, podendo serem engolidos e eliminados nas fezes.

     Nesta fase, sugerimos pedaços de cenoura crua (pode-se colocar na geladeira para que amorteça a gengiva enquanto ele esta roendo) que podem ser oferecidos aos filhotes entre as refeições para que o cão (desde filhote) seja estimulado a roer. Também pode ser oferecido palitinhos (couro), ossos artificiais (couro) ou naturais (joelho de boi). O ato de roer é a escovação   natural   do   cão,  mas

 
     

muitas vezes somente ela não impede o acúmulo de tártaro e o mau-hálito, como no caso citado abaixo.  

 
 

     Eventualmente e principalmente em animais de pequeno porte, acontece de os dentes de leite permanecerem na boca, juntamente com seus respectivos dentes permanentes; o que chamamos de dentição dupla (demonstrada na imagem ao lado). Pode ocorrer deste dente de leite cair até o 1 ano de idade, caso não caia sozinho, há necessidade de retirada cirúrgica do mesmo pelo médico veterinário. A permanência desta dentição dupla causa o acúmulo de alimento entre os dentes, causando tártaro, gengivite, além do mau-cheio bucal.

     Os cães tem uma grande tendência a formar tártaro, o que provoca o mau-hálito e a perda precoce  dos   dentes permanentes.

   

A cárie também ocorre em animais que recebem alimentos doces com freqüência.

     A higiene da boca do cão pode ser feita através de escovação. Existem escovas e pastas dentais para cães. A escovação deve ser feita 2 a 3 vezes por semana, no mínimo. Embora seja o método ideal, nem todos os cães aceitam e muitos donos não conseguem manter a freqüência de escovação. A escova também pode ser substituída por um chumaço de algodão esfregado nos dentes do animal.

     Para saber mais sobre a dentição dos cães e gatos, leia a matéria sobre dentes.

     Sabe-se que cerca de 80% dos cães e gatos sofrem de problemas bucais, conheça alguns destes problemas que o seu "amigdepatas" poderá apresentar: doença periodontal, tártaro, cárie, etc.

     Assim como vamos no dentista periodicamente, leve seu amigo ao veterinário também para uma avaliação e acompanhamento periódico, lembre-se prevenir sempre é a melhor opção. Eles agradecem!