dicas importantes 

 
início o que precisa para viajar com seu animalzinho?

     Quando for viajar e decidir levar com você o seu "amigdepatas", ou mesmo transportá-lo desacompanhado, saiba que existem procedimentos definidos pelas autoridades sanitárias que requerem sejam tomadas algumas providências com relativa antecedência.

     DESTINO: BRASIL
     Se você vai viajar dentro do Brasil, deverá levar o seu cachorro ou gato para ser avaliado por um médico veterinário regularmente registrado no CRMV do estado de origem do animal, quando será verificado se as vacinas estão em dia (com destaque para a anti-rábica), as condições de saúde e se há infestação por ectoparasitas (pulgas, carrapatos, etc). Este profissional emitirá um atestado, válido por 10 dias, que junto com o carteira de vacinação, será suficiente para o traslado do animal, acompanhado ou não de seu dono.

     O Atestado Sanitário para o Trânsito de Cães e Gatos deverá conter:
Identificação do proprietário ou acompanhante do animal: nome e endereço completos.
Identificação do animal: nome, espécie, raça, pelagem, sexo, idade e número do microchip.
Vacinação: dose, datas de vacinação e revacinação anti-rábica, nome, número do lote/partida, laboratório fabricante, datas de fabricação e vencimento.
Médico veterinário: carimbo legível com nome completo, número de inscrição no CRMV e assinatura.

     Importante:
     A circulação do animal no território nacional somente poderá ocorrer após 30 dias da data de aplicação da última vacina anti-rábica.



      DESTINO: EUA, CANADÁ, AMÉRICA DO SUL E CENTRAL, ÁFRICA, ÁSIA E OCEANIA
     Tratando-se de transporte para outros países, é necessário que o animal possua identificação, preferencialmente por microchip. Implantado o identificador e avaliado o animal, o médico veterinário emitirá dois atestados:
     Atestado de Vacinação , do qual deverá constar:
Vacina: nome, número do lote/partida, laboratório fabricante, datas de fabricação e vencimento.
Vacinação: dose, via de aplicação, datas de vacinação e revacinação.
Identificação do animal: nome, espécie, raça, pelagem, sexo, idade e número do microchip.
Atestado de Sanidade Animal contendo:
Identificação do proprietário: nome e endereço completos.
Identificação do animal: nome, espécie, raça, pelagem, sexo, idade e número do microchip.
Médico veterinário: carimbo legível com nome completo, número de inscrição no CRMV e assinatura.
Data de emissão.
     Observação: para cães com destino aos EUA, no atestado deverá constar que o animal não é portador de miíases.
     De posse destes atestados, dirigir-se a uma unidade do MAPA onde será emitido o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI).

     Importante:
     O ingresso do animal nestes países somente poderá ocorrer após 30 dias da data de aplicação da última vacina anti-rábica.

     DESTINO: PAÍSES MEMBROS DA UNIÃO EUROPÉIA*, JAPÃO E SUÍÇA
     Também é necessário que o animal possua identificação, por tatuagem ou, preferencialmente, por microchip. Implantado o identificador é necessário realizar um exame comprobatório de prévia vacinação contra raiva (Titulação/Sorologia de Anticorpos de Raiva).
     Para a emissão do Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), o seu pet deverá possuir os seguintes documentos:
Identificação do Animal: tatuagem claramente legível ou microchip.
Titulação de Anticorpos Neutralizantes de Raiva: com resultado maior ou igual a 0,5 UI/mL, realizado por laboratório credenciado pela União Européia.
     Atestado de Vacinação contra Raiva , do qual deverá constar:
Vacina: nome, número do lote/partida, laboratório fabricante, datas de fabricação e vencimento.
Vacinação: dose, via de aplicação, datas de vacinação e revacinação.
Identificação do animal: nome, espécie, raça, pelagem, sexo, idade e número do microchip.
     Atestado de Sanidade Animal contendo:
Identificação do proprietário: nome e endereço completos.
Identificação do animal: nome, espécie, raça, pelagem, sexo, idade e número do microchip.
Médico veterinário: carimbo legível com nome completo, número de inscrição no CRMV e assinatura.
Data de emissão.
     De posse destes documentos, dirigir-se a uma unidade do MAPA onde será emitido o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI).

     Importante:
     O ingresso do animal na União Européia somente poderá ocorrer 90 dias após a data de coleta de amostra de sangue para realização de exame de Titulação/Sorologia de Anticorpos Neutralizantes da Raiva por laboratório credenciado.

     Países com restrições e/ou exigências adicionais:
Espanha: restrição ao ingresso das raças Pit Bull, Staffordshire Terrier, American Staffordshire Terrier, Rottweiler, Dogo Argentino, Fila Brasileiro, Tosa Inu e Akita Inu. Consultar a representação do país para obter esclarecimentos.
Finlândia: anexar atestado de realização de tratamento contra Echinococcus .
Suíça: não são permitidos cães com cauda e/ou orelhas cortadas, a não ser em casos de curta estadia.
Irlanda e Reino Unido adotam política de quarentena e, portanto, não requerem exame de titulação de anticorpos.
 

     SAIBA MAIS
     União Européia
     Os países que constituem a União Européia são: Áustria, Bélgica, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Gibraltar, Grécia, Hungria, Itália, Latvia(Letônia), Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polônia, Portugal, Eslováquia, Espanha. Irlanda e Reino Unido adotam política de quarentena e, portanto, não requerem exame de titulação de anticorpos..

     Titulação de Anticorpos Neutralizantes de Raiva
     Exame realizado por laboratório credenciado pela União Européia destinado a verificar a eficácia do programa de vacinação anti-rábica aplicado no animal. Desde fevereiro de 2006, o Laboratório Pasteur, instituição pública do Estado de São Paulo, possui autorização para realizar este exame no Brasil.
     A coleta de sangue deverá ser realizada a partir de 30 dias da aplicação da última dose da vacina anti-rábica e deverá apresentar um resultado maior ou igual a 0,5 UI/mL. O soro separado do material coletado é preparado e congelado para envio, assegurando a manutenção dos anticorpos na amostra. O laudo demanda cerca de 3 semanas para ser emitido.

 
Voltar