doenças 

 
início Demodicose ou Sarna Demodécica

     É uma doença parasitária inflamatória de cães e, raramente gatos, caracterizada por um número aumentado de ácaros nos folículos pilosos, que leva frequentemente a furunculose e infecção bacteriana secundária. Podendo ser encontrada da forma localizada ou generalizada, que serão explicadas a seguir.

 
Voltar  

     É causada por um parasita chamado Demodex; um ácaro que faz parte da fauna normal da pele dos animais, localizados dentro do folículo piloso e glândulas sebáceas da pele. Apresenta-se tipicamente em números pequenos. A doença se manifesta quando a quantidade exceder o tolerado pelo sistema imune.

     A proliferação inicial pode resultar de um distúrbio genético ou imunológico.

     Ao lado ilustramos o ácaro Demodex canis que acomete os cães.

 
   

     Como mencionamos anteriormente a forma localizada da doença acomete principalmente cães jovens de 3~6 meses de idade, apresenta lesões geralmente moderadas (uma ou duas placas) consistindo de eritema (vermelhidão), descamação discreta e hiperpigmentadas. Não é frequente o prurido (coceira) e a piodermite secundária (infecção oportunista). Pode apresentar várias placas sem pêlo na face, região ao redor dos olhos e boca, pescoço, além do tronco e pernas, mas podem eventualmente aparecer noutra regiões do corpo do animal. 

     A forma generalizada, é também conhecida como "Sarna Negra" devido ao escurecimento da pele promovida pela falta de proteção dos pêlos em exposição ao sol. Esta forma pode acometer desde animais jovens até idosos. Acomete principalmente raças puras com idade inferior a um ano e meio de idade. Pode ser disseminadas desde o início, com placas mal demarcadas e múltiplas (alopecia difusa), com eritema, edema, descamação crostosa, seborréia, inflamação e alopecia  (falha no pelo). Com a proliferação do ácaro pode ocorrer infecção oportunista de bactérias, desde piodermite moderada e superficial até severa e profunda, causando ruptura dos folículos (furunculose) e celulite. A pele fica extremamente inflamada e exsudativa (saindo secreção). Prurido e linfadenopatia (linfonodos aumentados) generalizada estão normalmente associados a esta forma. Aproximadamente 10% das lesões de demodicose localizada podem, gradualmente ou rapidamente, dar origem a um quadro de demodicose generalizada.

 

Demodicose Localizada

Demodicose Generalizada

 

 

     A transmissão dos ácaros nos cães ocorre por contato direto durante os primeiros 2 ou 3 dias depois do nascimento, na fase inicial da amamentação. Os parasitas são inicialmente evidenciados no focinho dos cachorros, realçando a importância do contacto direto e da amamentação.

     É comum o aparecimento em certas raças puras tais como: Collie, Galgo Afegão, Pastor Alemão, Cocker Spaniel, Doberman Pincher, Dálmata, Boxer e Pointer.

     O método de diagnóstico para comprovação da doença é o raspado cutâneo profundo, fazendo com que a área raspada sangre, permitindo a saída do ácaro do folículo piloso. O exame deve apresentar um grande número de ácaros para ser positivo. O focinho, (especialmente à volta dos lábios) e as patas são duas zonas favoritas dos ácaros e devem ser escolhidas como zonas iniciais de raspagem. Em situações especiais, uma biópsia de pele pode ser realizada para confirmação do diagnóstico.

     Há fatores que predispõem ao desenvolvimento da demodicose, como o cio, o parto e o parasitismo intestinal. Nestes casos, a aplicação de um simples tratamento tópico é o suficiente para a cura completa, depois de efetuada a castração, desparasitação e dieta adequada. Os animais recuperados devem ser castrados, não devendo ser utilizados na reprodução.

     Quando animais idosos desenvolvem a doença generalizada provavelmente apresentarão alguma doença interna ou neoplasias malignas no prazo de um ano; o proprietário deverá estar ciente desta possibilidade.

     Ocorre muito de clientes se desfazendo do seu "amigdepatas" após o diagnóstico de demodicose, mas isto é errado, não é considerados uma zoonose e nem ocorre a transmissão direta de um cão para outro.

"O ácaro não contamina seres humanos,

portanto não se preocupe com a transmissão

desta doença a sua família."

     Pode não se conseguir a cura, mas tem tratamento que consegue reduzir bastante os sintomas. Trate bem seu animalzinho ele não tem culpa de ser sensível a este ácaro.

    Abaixo ilustramos um antes e depois de um Yorkshire com demodicose e infecção oportunista por fungo Malassesia durante o tratamento.

ANTES

 
   
 
 

 

DEPOIS