doenças 

 
início giardíase

     É uma enfermidade parasitária de distribuição mundial, sendo classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como zoonose desde 1979. A doença é causada por um protozoário flagelado (Giárdia lamblia), que infecta o intestino delgado de cães e outros mamíferos, que como citado anteriormente, inclui o homem. Os animais podem então, quando contaminados, se tornar uma fonte da doença para humanos.

 
Voltar  

     Uma vez instalada a doença, o animal fica mais suscetível a outras enfermidades mais graves e até fatais. A infecção ocorre quando o animal ingere o cisto (forma em que o protozoário se encontra nas fezes), seja através do contato com outros animais como pela água e outros alimentos contaminados. Os cistos também contaminam os pêlos dos cães, representando uma fonte de infecção, principalmente para as pessoas (destacando as crianças), que tem um contato mais freqüente com seus animais.

 
 

     Estes cistos sobrevivem no ambiente e, desta forma, são fonte de contaminação e principalmente reinfestação para os cães. É importante lembrar que, como os seres humanos também desenvolvem a doença, hábitos de higiene e programas anuais de vacinação dos cães são fundamentais para a proteção de toda sua família. A remoção imediata das fezes limitará a contaminação ambiental e os cistos são inativados pela maioria dos compostos de amônio quaternário, água sanitária, vapor e água fervente.

     O sinal clássico da doença é o surgimento de fezes pastosas, fétidas ou diarréicas. Outros sinais clínicos incluem ainda vômitos, depressão, aumento da motilidade intestinal e, em alguns casos, flatulência (gases). Em conseqüência disso, os animais podem apresentar perda de peso e desidratação, havendo risco de morte em quadros mais severos.

     O protozoário da giárdia pode infectar tanto "amigdepatas" filhotes como adultos; os animais jovens e os adultos que nunca foram expostos aos oocistos têm maior chance de apresentar sintomatologia clínica mais severa. Contudo, 80% dos cães infectados não apresentam sintomas clínicos, embora, mesmo assintomáticos, esses cães eliminem oocistos no ambiente, podendo infectar outros cães ou membros da família, especialmente crianças - a giardíase é uma das causas mais comuns de problemas intestinais em cães e seres humanos, e está presente em todos os estados brasileiros.

     A melhor forma é a prevenção com a vacinação contra a giardia. A vacina estimula o animal a resistir ao parasito, sendo uma solução efetiva em longo prazo para o controle desta enfermidade parasitária, já que a imunidade natural contra Giárdia é de curta duração. Mesmo que os tratamentos se mostrem eficazes, a reinfecção em animais é muito freqüente , devido à dificuldade de se eliminar os cistos infectantes do ambiente. Um animal vacinado, além de protegido contra giardíase, não representará mais uma fonte de infecção a outros animais e até mesmo a seres humanos contactantes.