doenças 

 
início raiva

     A raiva é uma doença infecto-contagiosa que pode ser transmitida dos animais ao seres humanos (zoonose), a raiva é causada por um vírus da família Rhabdoviridae, do gênero Lyssavirus, que se multiplica pelos nervos periféricos até o sistema nervoso central.

     A doença atinge vários mamíferos, inclusive o homem, mas os carnívoros são mais afetados (cães, gatos, raposas, chacais e lobos), podendo levar a graves distúrbios no sistema nervoso central, com 100% de letalidade.

     A principal via de ingresso do vírus da raiva é pela pele, através da mordida de animais raivosos, ou portadores que estejam eliminando o vírus com a saliva. Embora seja a saliva a principal forma de transmissão, pode ocorrer a contaminação de feridas ou discretos ferimentos da pele com vírus rábico pelo contato com sangue, urina, fezes e órgãos de animal raivoso, levando depois à progressão da doença de igual forma que a da mordida.

     O grande responsável pela transmissão da raiva urbana é o cão raivoso, chamamos de "raiva furiosa", pois antes de morrer, o animal fica agressivo e pode morder muitos animais. Os cães raivosos podem eliminar o vírus vários dias antes de apresentar sintomas da doença.

     No ambiente rural embora os cães também tenham grande importância, o principal transmissor e portador do vírus rábico é o morcego que se alimenta de sangue - hematófago - (Desmodus rotundos - ilustrado na figura abaixo), considerado este o principal vampiro das Américas.

 
Voltar  
   
   

     Este morcego tem o hábito de se alimentar do sangue de animais herbívoros que estejam pastando ao entardecer e à noite, podendo infectar o animal ao sugar o sangue. Além disso, costuma voltar nas noites seguintes para se alimentar no mesmo animal e na mesma ferida.

     Existem observações que morcegos hematófagos, aparentemente normais, podem eliminar o vírus rábico por períodos de 5 a 7 meses. Estes morcegos contaminados podem ou não desenvolver a raiva e morrer, ou apresentar uma resistência a doença e se curar. Lembramos que a grande maioria dos morcegos não são hematófagas, mas sim  se  alimentam   de   insetos   (insetívoros),   de   frutas

 
 

(frugívoros), de néctar das flores, etc. Estes morcegos têm um importante papel na natureza sendo responsáveis, por exemplo, pela dispersão de sementes, pela polinização de flores e controle na população de insetos.

     Apesar disto e de sabermos que muitos deles não são causadores da raiva, pelo fato desta doença ser fatal, e causada pela mordedura, arranhadura ou lambedura, nunca devemos manipular nenhuma espécie de morcego, por segurança.

     Até hoje não há tratamento de "
amigdepatas" raivosos. Portanto, qualquer animal que  apresente raiva deverá ser sacrificado. A única forma disponível de combate desta importante doença é a preventiva, através de vacinações anuais de todos animais com vacinas anti-rábicas.

     A partir dos 120 dias de idade (4 meses), todos cães e gatos têm de ser vacinados contra raiva e repetidas anualmente. Não é aconselhável vacinar cadelas grávidas, nem filhotes que tenham menos de 3 meses de idade ou que não estejam saudáveis, para isto leve-os ao veterinário.

     Se por acaso você for mordido por um cão ou gato desconhecido, a primeira coisa a fazer é lavar muito bem o local com água e sabão. É importante procurar saber se o animal que o mordeu tem dono e se ele foi vacinado. Necessariamente o animal vacinado possui carteirinha de vacinação feita por um veterinário. Faça também um acompanhamento do animal durante alguns dias, para ver se ele não está doente, se apresenta comportamento normal, se está se alimentando, etc. Sempre é fundamental que procure urgentemente um médico para ser orientado e tratado, se for o caso.

     Sintomas: os animais se mostram extremamente agressivos; inicialmente apresentam uma marcha trôpega até culminar com paralisia mandibular, dos membros anteriores e posteriores e finalmente a morte.