raças 

 
início

basenji

 
Voltar
 

   
       
   

Resumo das Características

Nacionalidade: Zambia
Classificação: Companhia
Porte: Pequeno
Temperamento: Dominante
Treinabilidade: Teimoso
Grau de proteção: Moderado
Espaço necessário: Médio
Altura mínima: 40,6 cm
Altura máxima: 43,2 cm
Peso mínimo: 10 Kg
Peso máximo: 11 Kg
Nível de energia: Médio
Duração de exercícios/dia: 35 min
Cor: Bicolor e Tricolor
Tipo de pêlo: Curto
Troca de pêlo: Frequente
Necessidade de tosa: Não
   
       
 

Descrição da Raça

     É o cachorro perfeito para viver em apartamento, pois não late (mas não é mudo, tem um ruído próprio e especial), não tem cheiro, extremamente limpo (cuidam de sua aparência com tanto esmero quanto um gato, vê-los lambendo as patas e depois passando no rosto não é raro, se dedicam por horas ao seu próprio tratamento de beleza), quase não solta pêlos, pequeno e fácil de cuidar. Mas por outro lado, são cheios de energia e adoram caminhar e correr.

     Quanto ao ruído próprio que emitem é diferente do latido, são bastante estranhos para quem não está familiarizado com a raça. Alguns descrevem o som dos Basenjis como choros de crianças, outros acham que mais se parecem com cantos, ou como risadas. A verdade é que um Basenji deixado muitas horas sozinho e aborrecido e frustrado pode fazer um bocado de barulho. Sem falar que eles podem se tornar bastante destruidores.

     Por ser uma raça não totalmente domesticada, apresentam o instinto muito presente no seu dia-a-dia, portanto escolha filhotes bastante socializados, manuseando-os, desde cedo, por crianças e pessoas cuidadosas. É preciso ter especial cuidado com esta raça para não maltratá-la ou assustá-la, pois eles são conhecidos por ter uma memória de elefante, e jamais esquecem se forem abusados ou espancados.

     Para treiná-lo e educá-lo é aconselhável a fazê-lo como com gatos, apenas utilizando métodos de motivação positiva sem o uso de força física ou punição severa. Este tipo de correção deve ser usado apenas em último recurso, para cachorros que tentam morder seus donos. É muito mais fácil ensinar um Basenji com carinhos e pequenos petiscos do que com a força bruta. É preciso entender, antes de mais nada, que esta é uma raça desenvolvida para ser independente, que eles tem vontade própria e que são bastante inteligentes para não fazer o que não lhes interessa. Normalmente um NÃO dito em tom bem forte e autoritário é suficiente para repreender um Basenji e fazê-lo ver que cooperar é a melhor alternativa.

     Eles detestam água, levá-los para passear num dia de chuva é praticamente impossível. Podemos utilizar isto como método de punição" em adestramento - borrifar água.

     Extremamente dominantes adotam a filosofia: O que é meu é meu, e o que é seu é meu também! Muito cuidado para estabelecer as regras da casa desde cedo.

     Uma vez conquistados, eles são amorosos, adoram carinho e de ficar pertinho de seus donos, de preferência fiscalizando tudo que está acontecendo na casa. São alertas e servem como ótimos cães de alarme. Orgulhosos, não perdoam mal-tratos. São inteligentes e adoram brincar.

     Se não forem acostumados desde pequenos estes cãezinhos podem se tornar bastante agressivos com outros cães.

     O Basenji é uma raça única, cheia de deliciosos contrastes. Eles são fortes e rústicos o suficiente para caçar animais selvagens na África, são cheios de energia e competitivos, mas ao mesmo tempo poucos cães gostam tanto dos confortos e carinhos que uma família humana pode proporcionar como o Basenji. Ele é manipulador e autoritário com aqueles que o amam, mas eles recompensam este amor a maneira deles, com todo o seu pequeno coração.

     Para aqueles que estão dispostos a se dedicar a este "amigdepatas" brilhante, que tiver senso de humor, paciência e persistência não haverá melhor companhia.

     Por não ladrar não constituem um bom cão de guarda. Adoram vegetais, pelo que se deve incluí-los na sua dieta. A sua pelagem curta não necessita de muita escovação até porque o Basenji possuem muitas características similares aos gatos, senão vejamos o fato de ele se lavar como um gato e não tem cheiro a cão, assim esfregá-lo com uma luva de sabujo é o suficiente.

 
 

 

 

 

 

 

 

 

Cuidados Especiais

 

     Normalmente uma raça saudável, ele pode apresentar algumas doenças genéticas devido a utilização larga de "casamentos consangüíneos". São elas: Atrofia progressiva da retina (doença progressiva que pode levar a cegueira e costuma aparecer a partir dos 4 anos de idade), Síndrome de Fanconi (uma doença que afeta os rins - ataca os cães de meia idade (de 4 a 8 anos) e pode ser fatal), Anemia Hemolítica, Hipertiroidismo e Síndrome de Mal absorção. Alergias de pele e hérnias também podem ser um problema.

     É normal que as fêmeas entre no cio apenas uma vez por ano, e não duas como a maioria das fêmeas de outras raças.

     É uma boa idéia acostumá-los a ficar pequenos períodos de tempo sozinhos, já que eles se apegam muito as suas famílias e podem sofrer bastante se houver um afastamento repentino como uma viagem, por exemplo. Também é preciso ter cuidado com o terreno em que eles vivem, já que tendem a escapar. São capazes de escalar muros e até de subir em árvores. Uma vez do lado de fora é quase impossível alcançá-los, tamanha a sua velocidade e destreza.

 
 

Fotos da Raça